quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

E restou o corpo dolorido de duas horas de caminhada pesada tentando colocar a cabeça no lugar.

Acordei com aquele gosto ácido de desprezo, passei a manhã mastigando a angústia de não saber o que vinha por aí, deixei-me levar pela alegria da tarde com os sorrisos alheios - muito embora aquilo tudo ficasse palpitando dentro de mim e a cabeça teimasse nos flashes de uma felicidade não tão remota assim - e pensei que fosse terminar o dia melhor. Ledo engano. Recebi a tua voz cheia de impaciência, um desprezo ainda maior e me senti afogada na rispidez das tuas palavras. Não te entendo... e não entendo toda essa má vontade. Às vezes parece que só te atrapalho... Me diz o que fazer, então, porque eu já não sei mais.


A necessidade cada vez mais aguda de ruído só se explica pela necessidade de sufocar alguma coisa
(K. Lorenz)

3 comentários:

Le Vautour disse...

Gê, ao lado da alegria de encontrá-la no Tossan de Santos (que trocadalho, né?), a tristeza de sabê-la numa fase meio deprê.
Cadê a txurma? A Janinha sumiu? Já vi o Betão por aqui. Não lembro o endereço da Fê.
Beijos!

Georgia disse...

Nossa, meu amigo!!!! Quanto tempo! Gostei do novo nome... (rs) Janinha está amando (!) e não tem mais tempo pra blogar, o Beto, tu já sabes e a Fê, que tb está com borboletas estomacais tá aqui: http://drarepolha.blogspot.com/

É, a fase deprê... hajatarjapretapratantaangústia (rs). E olha que ainda faço piada do assunto.

Ósculos e amplexos! Bem-vindo à casa outra vez!

Le Vautour disse...

Gê, fart, quando sobe, dissipa. Eu me misturei à atmosfera e acabei voltando à natureza (nada se perde...), mas agora com duas asinhas (tomara que não mas cortem hehehehe) - frágeis, mas asas.
A Janinha está amando? Pequepê, isso é 100-sacional! Que blogar que nada! Amar é preciso, blogar não é preciso.
Hajatarjapreta... hm... mas você é faixa preta em coragem, em vida, em inteligência, em ânimo. E aquele plano do 'haja ontem para tanto hoje"? Manda bala, mulé!
Vou visitar a Dra. Repolha.
Beijos aí, ó!