quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Agostinho Carrara, tá ligado?

Dou início a campanha: queremos ver o Agostinho na praia... Tô louca pra ver o modelito da figura.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Idéias




Minha mente simplesmente se recusa a obedecer-me. Não pára! As idéias invadem e transformam-se, migram de um lado a outro. Expandem-se em milhares de pontos luminosos que me dão asas. Assim vôo. E como vou longe! Mal sabes tu!

Pérolas minhas...

Andava a fuçar nas minhas coisas e encontrei algumas pérolas minhas:

1) Em nada me apetece tomar veneno em pequenas doses. O sofrimento é maior e mais longo. Se é para envenenar-me, que seja, pois, em dose única.

2) Desculpa se me intrometo onde não devo, mas essa tua estranheza me perturba.

3) Se não queres, não faças. Procuras se sentires que deves, se assim o quiseres. Deixo-te à vontade.

4) Calar e ausentar só levam a um caminho. Bem sabes qual.

5) Não me posso aonde não me desejam. Não me posso aonde não me permitem.

Cheguei à conclusão de que, mesmo no cotidiano, eu sou poética demais... nem todo mundo entende!

Pérolas de Coco Chanel


Vista-se mal e notarão o vestido. Vista-se bem e notarão a mulher.

Uma mulher precisa de apenas duas coisas na vida: um vestido preto e um homem que a ame.

A girl must be two things: classy and fabulous.

In order to be irreplaceable one must always be different.

O mais corajoso dos atos ainda é pensar com a própria cabeça.

Argh!


Olhando pra tela do computador me peguei pensando... sabe que hoje era o dia perfeito pra tomar umas cervejas, comer carne de onça e jogar conversa fora, dar umas risadas, quem sabe? Onde eu acabei? Pergunta idiota! Oras, no drive thru do McDonald's.  Depois, devorando a tal McOferta na frente da tv, assistindo Discovery Channel (especial 21/12/2012). E na frente do computador, blogando e 'orkutando'. É o fim do mundo se aproximando mesmo!! Pra mim, o fim da noite, com certeza.
Ah, não! Leilão de jóias na tv???
Tô devendo tanta visita que até perdi a conta! Hoje era um bom dia. Mas não fui. Não fiz. De novo! Não me pergunte o porquê. Nem eu sei. Fazia tempo que não postava algo assim tão pessoal...
Acho que vou apelar pro dormonid... A gente se fala amanhã. Ou depois. Fui. E já vou tarde!

Du bist wie
Ferngesteuert
Statisch und
Mechanisch
So automatisch

Wenn du lachst
Lachst du nicht
Wenn du weinst
Weinst du nicht
Wenn du fühlst
Fühlst du nichts
Weil du ohne Liebe bist

A inteligência é o único meio que possuímos para dominar os nossos instintos.

Sigmund Freud

Ping pong


Vai, não vai, acha que vai, fica, volta, vai de novo, pensa que vai, mas não vai, volta, quer voltar , não volta, fica, volta, vai, volta pra onde não foi, volta, fica, vai, não volta, vai de novo, acha que fica e vai, não sabe se volta e resolve ficar, mas não sabe se quer.
Quer nada e quer tudo.
Quer tudo e não sabe o que quer.
Não sabe ficar.
Vai. À contragosto, mas vai.
E na entressafra, faz-se o quê????
Não sei, não sei...

Fala o que sente sem sentir, sente na hora depois já foi, enquanto está, sente, depois que foi, não sabe. Volta e traz o mundo, vai e se perde nele.
Deixa estar.
A hora que calhar, volta.
Ou vai.
E na entressafra, faz-se o quê????
Planta, menina, planta.
Planta direitinho, porque quem planta vento colhe tempestade!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Fragmentos


E amar não é nada fácil mesmo. Esse mesmo amor que inflama, glorifica, edifica, enebria (inebria...!) e enaltece, também sabe arrasar feito tornado F5: quando olha o que se resta... vê-se um oco nada. Vez ou outra ele é quase bonzinho: deixa aqui ou acolá um cantinho quase intacto pra dizer 'olha lá, um dia alguém morou ali.' Duro mesmo é quando vem, arrasa, desnorteia e... contra todas as regras mundanas, ali permanece. Isso sim, é um milagre! Eu acredito em milagres... rs Loucura boa é pouco! Não tente me entender... às vezes, nem eu consigo essa proeza! Mas eu amo, e amo muuuuuuuuuito. Coisinha adolescente, às vezes, mas juro que a porção racional é enorme, mesmo assim. Nem todo mundo consegue digerir; muitos não creem, outro tanto não compreende a dimensão. Duro mesmo é quando o outro não enxerga o que é pra lá de real, mesmo que pareça uma sopa de letrinhas. E quem disse que amor não pode ser literato??? E quem disse que amor tem regras? O dia que escreverem um manual de instruções sobre o assunto me avisem. Vou correndo comprar! Mas aviso de antemão: eu não tenho conserto!!! Nunca escondi que era uma aberração da natureza...
Palavras desta que vos fala numa discussão acirrada sobre amor no dia 15 deste mês. Apeteceu-me postar aqui outra pérola da sabedoria georgística.

É, um dia escrevo um livro.

Ósculos e amplexos... e 'vamo-que-vamo'! Ah, se vamos!!!

P.S. Ich bin da, wenn du willst schau dich um dann siehst du mich ganz egal wo du bist wenn du nach mir greifst dann halt ich dich.

A heart is a fragile thing, that's why we protect them so vigorously, give them away so rarely, and why it means so much when we do. Some hearts are more fragile then others, purer somehow. Like crystal in a world of glass. Even the way they shatter is beautiful.
Everwood

domingo, 20 de dezembro de 2009

:)

Minha nossa!!! Já é dia  20 e eu aqui me enrolando pra começar os doces de Natal.
Preguiça boa... Mas de hoje não passa!!
P.S. Eu sei: tô falando isso há quase uma semana!! rs

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Quando a alma grita o que sente o coração, pecado mesmo é não falar.

Sabedoria georgística. rs



 Foto: Amparo Torres

Se em boca fechada não entra mosca e quem tem boca vai à Roma... um meio-termozinho aí na entressafra viria bem a calhar, não?

O meu tempo... com uma pitada de Saint-Exupéry



Se tu vens às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz.
Antoine de Saint-Exupéry

Sou tão impaciente (?) que se tu me disseres que vens um dia, começarei a ser feliz uma vida antes... (rs)

Sempre há uma desculpa. Queria que pelo menos uma fosse boa o suficiente. Mas não há dúvida: sempre haverá uma desculpa.

Nossas dúvidas são traidoras e fazem-nos perder o bem que muitas vezes poderíamos obter, por medo de tentar.

Os covardes morrem muitas vezes antes da morte, o valente experimenta o gosto da morte somente uma vez.
William Shakespeare

...

Sempre achei difícil preencher as lacunas do silêncio, mas, até então, parecia-me normal. De uns tempos pra cá, as lacunas se tornaram maiores, as palavras, irreconhecíveis e os dias... esses se tornaram intermináveis. Vazios de tudo. Inclusive de ti.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Quase


A noite mais escura da alma fica ali, ao pé da escada, onde a chuva cai feito cachoeira. Fecho os olhos e quase vejo. Quase sinto.
E, num instante, assim... feito mágica, o mundo pára. O meu mundo. E as vozes se confundem num único timbre.
Outro segundo e o silêncio, senhor dos tempos, impera. Toma conta. Invade sem cerimônia alguma a minha fração da alma.
E já não sei mais ser... quase.
Sou a soma de tudo aquilo que sou, e não sei.

Do sofrimento, emergem as almas mais fortes. Os personagens mais impressionantes estão coalhados de cicatrizes.

Gibran Khalil Gibran

Nem todo dia será ensolarado, mas quando você encontrar-se perdido na escuridão e no desespero, lembre-se: é somente na escuridão da noite que podemos ver as estrelas e nenhuma estrela o guiará de volta para casa. Então não tenha medo de cometer erros, ou de tropeçar e cair, pois na maioria das vezes, os melhores prêmios vêm quando se faz aquilo que você mais teme. Talvez você consiga tudo o que deseja, talvez você consiga mais do que jamais tenha imaginado. Quem sabe onde a vida te levará? A estrada é longa e no fim, a jornada é o destino.
E ninguém, absolutamente ninguém, fica isento de cicatrizes... O que você faz com elas é o que realmente importa.

Anatole France tem razão... Todas as misérias verdadeiras são interiores e causadas por nós mesmos. Erradamente, julgamos que elas vêm de fora, mas nós é que as formamos dentro de nós, com a nossa própria substância.

Engraçado como a gente dá valor pra coisa qualquer de cotidiano quando se abstém de fazê-las...

Se eu pudesse pedir algo pro Cara lá de cima...

Tinha uma lista imensa, mas dei uma afuniladinha nela pra não parecer que tô exigindo o céu. Na verdade, só queria ter o dom de conceder paz de espírito. Acho que isso já resolvia metade dos problemas do mundo...

Boa noite, meu nome é Georgia. E tive a minha recaída... rs

Eu sou viciada em blog. Estive 'sóbria' por uns bons meses, mas nunca me esqueci do prazer que sinto em postar. Prazer? É, prazer. É um misto de desabafo, de compartilhamento de criações homéricas, do lançamento de idéias universais, de criação de um alter ego ao estilo Dr Jekyll e Mr Hide. Isso sim, considero como um 'alimentar de ego' incessante, afinal de contas, todo mundo escreve pra alguém ler.

Claro que o êxtase da criação - que pode nem ter nada a ver com o momento da gente - traz milhares de problemas também. Primeiro, meu amigo aqui me toma um tempo precioso. Mas ele é fiel... taí sempre que eu preciso dele. Não preciso me deslocar pra encontrar pessoas maravilhosas - outra nem tanto, claro... - que compartilham o mesmo pensamento que tenho. Só que ele me exige tempo. E cada vez que entro aqui, permaneço até a exaustão.

Ok, consideremos, então, uma certa fuga da realidade. Afinal de contas, a gente posta, na maioria das vezes sobre o que nos aflige (e estes são os melhores posts, por certo, porque é o teclado se desmanchando em lágrimas de sangue. Mas o extremo da felicidade também está aqui. O amor já se tornou'arroz de festa' e tomou o lugar do Rick Martin nas paradas de sucesso. As dores, essas são as que mais dão ibope. Não sei porquê. Talvez seja a tendência sádica enrustida nas pessoas, apesar de que, parcas, mas algumas, compartilham-na comigo. Nem tudo é o que parece, mas muito é real. Trocam-se nomes, alteram-se alguns pontos aqui e acolá, mas a essência, essa, permanece a mesma.

Falar faz bem. Muito bem. A gente expõe o que nos vai na alma e, em troca, recebe carinho, críticas construtivas, mas também muita tacada de baseball na cabeça. Riscos. Mas passando pela peneira, dá pro gasto. O problema é que, cada vez que algo imensamente feliz ou tremendamente triste acontece, lá vem a gente correndo postar no blog feito consulta psiquiátrica de final de dia. Só que aqui, não há tempo limitando a consulta. Aqui você segue o quanto se permitir. E que mal há nessa exposição de Georgia? Não vejo lá grandes coisas. Você que me lê pode me achar louca, mas a gente faz aqui, o que fazia numa roda de amigas antigamente. Ok, a net te afasta da realidade e você se torna introspectivo. Mas ninguém vê a tua cara inchada de choro quando tudo dá errado. A não ser que você poste. Só que também não tem aquele colinho que a gente precisa pra desidratar o corpo inteiro.

Tem muita gente aqui que eu nunca vi, mas que me trata decentemente, tal qual mereço. E me dá valor não só pela maldita casca. Não sou nem um pouco a fim de ser aquela loiraça bronzeada de olhos azuis. Claro que isso ajuda, mas eu prefiro muito mais ser aquela loiraça bronzeada de olhos azuis que entende de muita coisa e quando abre a boca todo mundo admira. Não sou metida, apesar de muita gente achar isso. Não sou dada (pois é, já ouvi isso), apesar de ser educada e atenciosa com todo mundo que me cerca. Sei bem a que vim e o que quero. Não preciso alimentar o meu ego da forma como muitos pensam. Os 'lindos olhos azuis' não me valem pra nada, se não tiver conteúdo. Mulher sem conteúdo não dá. Ser inteligente dá trabalho. Por isso, a maioria das mulheres se permite fazer uso daquilo que a natureza gentilmente lhes deu pra tirar onda dos homens desavisados (?), burros (?). E eu realmente sinto pena, muita pena dessa necessidade deles de massagear o ego (desculpa, mas não é não coisa de natureza, apesar da testosterona fazer estragos vez em quando. É, sim, o prazer de caçar. Alguns tem mais outros menos. E outros - poucos - conseguem controlar esse ímpeto. É uma questão de valores. Ou evolução da espécie. No fundo, numa relação dessas todos se usam para seu bel prazer. Triste, mas real. Pena que muitos homens não consigam enxergar que, às vezes, as que estão ao seu lado, estão porque querem, porque acham que vale mesmo a pena. Quem precisa massagear o ego, tende a ficar sozinho, porque acompanhado estraga o método. Isso é mais claro que água limpa).

Mas voltando ao princípio... Blog vicia, e blog é bom. Aquela coragem que nos falta de vez em quando de dizer o que dá na telha, cabe muito bem por aqui. No blog a gente expõe muita coisa. Mas será que é diferente quando você está numa cervejada com os amigos e solta alguma sem querer? Meio mundo vai saber. Aqui, se você quiser você fala. E a gente não dá nunca nome aos bois. Bom, não tem azaração, nem aquela 'gostosa' que acabou de passar pela mesa ou o bombadinho que tava logo ali, virando o primeiro corredor. Não tem aquele bombardeio de gente dando tiro de tudo quanto é lado pra ver se leva alguma presa pra casa (casa?).

Nossa! Quanta acidez! Mas se você pára pra pensar, é isso mesmo. Só que a gente dá umas pinceladas na realidade, deixa tudo perfumadinho pra coisa não parecer tão animalesca quanto é. Ahhhhhhhhhhhh, desculpa, mas eu ainda boto fé na humanidade... Um ser que chegou tão longe não pode ser tão fútil assim. Se não, vamos todos nos tornar 'porras-loucas', torrar dinheiro e virar contraventores logo de uma vez!

Olha, mais uma vez digo, respeito quem pensa assim desse jeito, mas a minha verdade é outra. E, assim como eu não gosto da de alguns, podem não gostar da minha também. Livre arbítrio é isso mesmo. Resta saber o melhor jeito de usar esse dom que a gente recebeu.

P.S. 'Eu - você - nós' ao pé da letra funciona. Claro que funciona. Funciona sabe quando? Quando você vive o superficial. Aí não tem problema algum. Não afeta nem fere ninguém. Satisfações a gente dá quando quer. Mas o tendencioso é olhar pro seu próprio nariz. Altruísmo não existe quando não há algo mais forte guiando e se há algo mais forte guiando, o individualismo que a gente precisa é outro (se é que me entende). O que existe é o eterno olhar pro próprio nariz. 'Eu - você - nós' funciona. Quando somos jovens e não temos compromisso com nada no mundo. Tudo que é em excesso magoa. O outro lado nem sempre é o mesmo. A gente (seres apaixonados que somos) sempre se deixa em prol do outro. O 'eu - você - nós' que funciona é o que vem sem cobrança, de graça, o saudável, aquele tempo que você tira pra resolver os pepinos que ninguém além de você mesmo consegue, aquele momento pra relaxar e se divertir saudavelmente, sem ferir ninguém. Ninguém nasceu colado e ninguém consegue andar colado o tempo todo com alguém. Usando uma palavra que eu o-dei-o, é contraproducente. Sentir saudades faz bem. O que se tem que saber dosar é o limite. Liberdade está longe de ser libertinagem... E digo mais: quando você começa a contar as horas pra chegar o dia da cervejada ou da voada noite adentro... xiiiiiiiiiiii, o problema é mais embaixo. Aí, tá mais que na hora de repensar o relacionamento e ver se realmente vale a pena ou se voar é mais legal que isso. Ninguém prende ninguém a ninguém. Quem se prende é a gente mesmo. Pena que nem todo mundo lembra disso, né? E tem gente que não nasceu pra viver a dois. Nasceu pra viver pro mundo. Pra esses só resta abraçar o mundo mesmo e buscar uma felicidade diferente.

P.P.S. Acho que bom mesmo era ser bonita, boa e burra (ah, e muda também!). Decerto essas aproveitam mais. Inteligência, às vezes, dá trabalho demais e estraga. Não há de ver que dava uma bela tese??

P.P.P.S. Sobre o que eu ia falar aqui mesmo??? Já perdi o foco! Putz... remédio pra dormir faz um estrago!  rs Opa! Remédio pra dormir? Então já tenho atenuante pra tudo o que eu falei aí. Tô aprendendo... tô aprendendo... E vem meu daemon correndo me dizer: Georgia, antes que eu me esqueça, você é uma mala, mas eu te amo, agora, vai dormir, vai, porque nesse estado não dá pra falar contigo. Amanhã a gente conversa! E fico eu aqui, preocupada em resolver o que não tem solução, de um problema que é meu por tabela porque EU não consigo me desligar quando o desespero no que tange aos que me são caros é imenso e não consigo simplesmente fechar os olhos e tirar a massa encefálica da tomada. Desculpa, mas não tenho coração de pedra, não. E tenho o defeito de querer resolver todos os problemas do mundo. Acho que tenho síndrome de ONU. E isso, (in)felizmente, não tem cura. Problemas todos temos, uns mais outros menos, alguns são seríssimos outros nem tanto e cada um carrega o peso da sua cruz, mas sumir do mundo quando o calo aperta não é garantia de que eles - os problemas - irão se dissolver ou diminuir... Saber dividir os problemas com quem a gente ama é uma arte e requer treino constante.

P.P.P.P.S. Messenhor!!!! Que bicho me mordeu?????? rs I can handle... Bom mesmo é botar tudo pra fora e sair daqui renovadinha... hehehe

P.P.P.P.P.S. Minha felicidade tem nome e sobrenome (coincidências à parte...). E uma voz rouca que se confunde com a minha vez ou outra...

I'm Yours

Jason Mraz



Well you done done me and you bet I felt it
I tried to be chill but you were so hot that I melted
I fell right through the cracks and I'm trying to get
back
Before the cool done run out I'll be giving it my
bestest
Nothin's gonna stop me but divine intervention
I reckon it`s again my turn to win some or learn some

I won't hesitate no more, no more
It cannot wait, I'm yours

Well open up your mind and see like me
Open up your plans and damn you're free
Look into your heart and you'll find love, love, love
Listen to the music of the moment maybe sing with me
I like peaceful melody
It's your godforsaken right to be loved loved loved
loved
loved

So I won't hesitate no more, no more
It cannot wait I'm sure
There's no need to complicate
Our time is short
This is our fate, I'm yours

I've been spending way too long checking my tongue in
the mirror
And bendin' over backwards just to try to see it
clearer
My breath fogged up the glass
So I drew a new face and laughed
I guess what I'm sayin is there ain't no better
reason
To rid yourself of vanity and just go with the
seasons
It`s what we aim to do
Our name is our virtue

I won't hesitate no more, no more
it cannot wait i'm sure
There's no need to complicate
Our time is short
It cannot wait, I'm yours
I won't hesitate no more, no more
It cannot wait I'm sure
There's no need to complicate
Our time is short
It cannot wait, I'm yours

Well open up your mind and see like me
Open up your plans and damn you're free
Look into your heart and you'll find love love love
Listen to the music of the moment come 'n dance with
me
I love one big family
It's your godforsaken right to be loved loved loved
Well open up your mind and see like me
Open up your plans and damn you're free
Look into your heart and you'll find love love love
Listen to the music of the moment come 'n dance with
me
I like happy melody
It's our godforsaken right to be loved love loved love

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Eu sei que exagero nas palavras que te digo, que quando falo de amor não tenho medidas nem limites

e chego a ser um verdadeiro dicionário ambulante, cozinhando uma sopa de letrinhas, tecendo a renda dos meus sentimentos exacerbados como se fosse o meu último dia na terra. Sei que dou um tom desesperado nos vocábulos, como que num último sopro de esperança, mas será que ainda não me desvendaste??? Tu, que me sentes de longe, que desvendas meus segredos num único olhar, ainda não te acostumaste com minha intensidade?

Como dizes, reclama tu, então, com o cara lá de cima que me fez assim... rs

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O limite entre o sensual e o indecente


No próximo réveillon, nas baladas, nos restaurantes, na Oscar Freire, no Leblon. O vestido curto & justo estará em todos os lugares no verão 2010, quer apostar? O modelo tem tudo a ver com o momento sexy que veio do exterior e, principalmente, com a influência do estilista Christophe Decarnin – ele transformou a Balmain na nova marca queridinha dos fashionistas e trouxe pra moda as ombreiras (que ainda encontram muita resistência e, por muitos, ainda são consideradas cafonas) e os curtos & justos (que muitas mulheres gostam porque ficam sensuais e muitos homens gostam… pelo mesmo motivo!).
Lilian Pacce

Ahhhhhh... eu é que não me meto a usar isso. Adoro vestido curto, mas o meu curto tem limite! E com certeza não termina na dobrinha da preferência nacional masculina. Não dá nem pra se mexer num desses, quanto mais sentar! É claro que os homens olham, mas depois não reclamem se forem mais além... Antigamente era uniforme de 'guerra'. E agora virou uniforme de balada (ou será matadouro?) das mocinhas - ok, algumas balzaquianas também aderiram. Os da foto aí em cima já são compridíssimos perto do que tenho visto por aí... O que eu digo segue abaixo.




É, seu Zé, os tempos mudaram. Fazer o quê? C'est la vie, mon amour, c'est la vie... Eu? Tô fora!!

P.S. Respeito as adeptas. Mas como se diz mesmo... (mau) gosto não se discute.

Pérolas do You Tube: put a keep are you!!!!

Deve dar um trabalho desgraçado... rs
Rendeu-me algumas - boas - risadas pela criatividade.

N'Sync, por Peruketz:


O Barbeiro de Sevilha, por Foffano:

domingo, 13 de dezembro de 2009

Os homens

Atribuem o texto a Arnaldo Jabor, mas não tenho lá tanta certeza disso e, confesso, não fui atrás pra saber.

1º Não existe homem fiel.

Vc já pode ter ouvido isso algumas vezes, mas afirmo com propriedade.
Não é desabafo.
É palavra de homem que conhece muitos homens e que conhecem, por sua vez, muitos homens.
Nenhum homem é fiel, mas pode estar fiel (ou porque está apaixonado, algo que não dura muito tempo - no máximo alguns meses - nem se iluda) ou porque está cercado por todos os lados (veremos adiante que não adianta cercá-lo. (Isso vai se voltar contra vc).
A única exceção é o crente extremamente convicto.
Se vc quer um homem que seja fiel, procure um crente daqueles bitolados, mas agüente as outras conseqüências.
Que coisa mais triste... Uma lástima. '...Está apaixonado, algo que não dura muito tempo...' Só posso sentir pena, pois jamais estarão contentes com ninguém. No fundo serão sempre uns solitários.


2º O homem é capaz de te trair e de te amar ao mesmo tempo.

A traição do homem é hormonal, efêmera, para satisfazer a lascívia.
Não é como a da mulher.
Mulher tem que admirar para trair; ter algum envolvimento.
O homem só precisa de uma bunda.
A mulher precisa de um motivo para trair, o homem precisa de uma mulher.
Odeio ouvir isso.: 'Homem trai por uma questão de natureza, quer reclamar, faça-o com o cara lá de cima que nos criou assim.' Que motivo fútil.

3º A traição tem seu lado positivo. Até digo, é um mal necessário.

O cara que fica cercado, sem trair é infeliz no casamento, seu desempenho sexual diminui (isso mesmo, o desempenho com a esposa diminui), ele fica mal da cabeça.
Entenda de uma vez por todas: homens e mulheres são diferentes.
Se quiser alguém que pense como vc, vire lésbica (várias já fizeram isso e deu certo), ou case com um viado enrustido que precisa de uma mulher para se enquadrar no modelo social.
Todo ser humano busca a felicidade, a realização.
E a realização nada mais é do que a sensação de prazer (isso é química, tá tudo no cérebro).
A mulher se realiza satisfazendo o desejo maternal, com a segurança de ter uma família estruturada e saudável,com um bom homem ao lado que a proteja e lhe dê carinho.
O homem é mais voltado para a profissão e para a realização pessoal e a realização pessoal dele vêm de diversas formas:
pode vir com o sentimento de paternidade, com uma família estruturada,etc., mas nunca vai vir se não puder acesso a outras fêmeas e se não puder ter relativo sucesso na profissão.
Se vc cercar seu homem (tipo, mulher que é sócia do marido na empresa.
O cara não dá um passo no dia-a-dia (sem ela) vc vai sufocá-lo de tal forma que ele pode até não ter espaço para lhe trair, mas ou seu casamento vai durar pouco,ele vai ser gordo (vai buscar a fuga na
comida) e vai ser pobre (por que não vai ter a cabeça tranqüila para se desenvolver profissionalmente.
(Vai ser um cara sem ambição e sem futuro).
Mas e quando não há sufocamento? E quanto a relacionamentos onde vemos o tal cara alguns dias na semana, onde ele tem total liberdade pra viajar sozinho, sair pra beber com os amigos e fazer o que  bem entender da vida? Ainda assim não tá bom? Então tá... É um eterno insatisfeito mesmo. O negócio é comer qualquer uma mesmo.

4º Não tente mudar para seu homem ser fiel. Não adianta.

Silicone, curso de dança sensual, se vestir de enfermeira, etc... nada disso vai adiantar.
É lógico que quanto mais largada vc for, menor a vontade do homem de ficar com vc e maior as chances do divórcio.
Se ser perfeita adiantasse Julia Roberts não tinha casado três vezes.
Até Gisele Bunchen foi largada por Di Caprio, não é vc que vai ser diferente (mas é bom não desanimar e sempre dar aquela malhadinha).
O segredo é dar espaço para o homem viajar nos seus desejos (na maioria das vezes, quando ele não está sufocado pela mulher ele nem chega a trair, fica só nas paqueras, troca de olhares).
Finja que não sabe que ele dá umas pegadas por fora.
Isso é o segredo para um bom casamento.
Deixe ele se distrair, todos precisam de lazer.
Começo a pensar que toda mulher é burra... Significa que todo e qualquer empenho que você faz - mesmo que não esteja lá muito a fim de se empenhar tanto, vai pra lata do lixo??? Que ótimo saber isso.

5º Se vc busca o homem perfeito, pode continuar vendo novela das seis.

Eles não existem nesse conceito que vc imagina.
Os homens perfeitos de hoje são aqueles bem desenvolvidos profissionalmente, que traem esporadicamente (uma vez a cada dois meses, por exemplo), mas que respeitam a mulher, ou seja, não gastam o dinheiro da família com amantes, não constituem outra família, não traem muitas vezes, não mantêm relações várias vezes com a mesma mulher (para não criar vínculos) e, sobretudo, são muuuuuito discretos:
não deixam a esposa (e nem ninguém da sua relação,como amigas, familiares, etc saberem).
Só, e somente só, um amigo ou outro DELE deve saber, faz parte do prazer do homem contar vantagem sexual.
Pegar e não falar para os amigos é pior do que não pegar.
As traições do homem perfeito geralmente são numa escapolida numa boite, ou com uma garota de programa (usando camisinha e sem fazer sexo oral nela),ou mesmo com uma mulher casada de passagem por sua cidade.
O homem perfeito nunca trai com mulheres solteiras.
Elas são causadoras de problemas.
Isso remete ao próximo tópico.
Nossa! Deu até um treco agora. Há uma certa ética nisso?? Tudo bem, eu já ouvi exatamente essas palavras aí.


6º ESSE TÓPICO NÃO É PARA AS ESPOSAS - É PARA AS SOLTEIRAS OU AMANTES:

Esqueçam de uma vez por todas esse negócio de homem não gosta de mulher fácil. Homem adora mulher fácil.
Se 'der' de prima então, é o máximo.
Todo homem sabe que não existe mulher santa.
Se ela está se fazendo de difícil ele parte para outra.
A demanda é muito maior do que a procura.
O mercado ta cheio de mulher gostosa.
O que homem não gosta é de mulher que liga no dia seguinte.
Isso não é ser fácil, é ser problemática (mulher problema).
Ou, como se diz na gíria, é pepino puro.
O fato de vc não ligar para o homem e ele gostar de vc não quer dizer que foi por vc se fazer de difícil, mas sim por vc não representar ameaça para ele.
Ele vai ficar com tanta simpatia por vc que vc pode até conseguir fisgá-lo e roubá-lo da mulher.
Ele vai começar a se envolver sem perceber.
Vai começar ELE a te procurar.
Se ele não te procurar era porque ele só queria aquilo mesmo.
Parta para outro e deixe esse de stand by.
Não vá se vingar, vc só piora
Prefiro me abster de comentários.

7º 90% dos homens não querem nada sério.

Os 10% restantes estão momentaneamente cansados da vida de balada ou estão ficando com má fama por não estarem casados ou enamorados; por isso procuram casamento.
Portanto, são máximas as chances do homem mentir em quase tudo que te fala no primeiro encontro (ele só quer te comer, sempre).
Não seja idiota, aproveite o momento, finja que acredita que ele está apaixonado e dê logo para ele (e corra o risco de fisgá-lo) ou então nem saia com ele.
Fazer doce só agrava a situação, estamos em 2007 e não em 1957.
Esqueça os conselhos da sua avó, os tempos são outros.
'Momentaneamente cansados da vida de balada...' Essa doeu.


8º Para ser uma boa esposa e para ter um casamento pelo resto da vida faça o seguinte:
Tente achar o homem perfeito do 5º item, dê espaço para ele.
Não o sufoque. Ele precisa de um tempo para sua satisfação.
Seja uma boa esposa, mantenha-se bonita, malhe, tenha uma profissão não seja dona de casa), seja independente e mantenha o clima legal em casa.
Nada de sufocos, de 'conversar sobre a relação', de ficar mexendo no celular dele, de ficar apertando o cerco, etc.
Vc pode até criar 'muros' para ele, mas crie muros invisíveis e não muito altos.
Se ele perceber ou ficar sem saída, vai se sentir ameaçado e o casamento vai começar a ruir.

A última dica:
9º Se vc está revoltada por este e-mail, aqui vai um conselho:
vá tomar uma água e volte para ler com o espírito desarmado.
Se revoltar quanto ao que está escrito não vai resolver nada em sua vida.
Acreditar que o que está aqui é mentira ou exagero pode ser uma boa técnica (iludir-se faz parte da vida, se vc é dessas, boa sorte!).
Mas tudo é a pura verdade.
Seu marido/noivo/namorado te ama, tenha certeza,senão não estaria com vc, mas trair é como um remédio; um lubrificante para o motor do carro. Isso é científico.
O homem que vc deve buscar para ser feliz é o homem perfeito do item 5º.
Diferente disso ou é crente, ou viado ou tem algum trauma (e na maioria dos casos vão ser pobres).
O que vc procura pode ser impossível de achar, então, procure algo que vc pode achar e seja feliz ao invés de passar a vida inteira procurando algo indefectível que vc nunca vai encontrar.
Espero ter ajudado em alguma coisa.
Agora, depois de tudo isso dito, cadê a coragem de mandar este e-mail para minha mulher??
Muito esclarecedor esse universo de vocês, mas então, caímos no lugar-comum de que todos os homens são iguais - que vocês tanto insistem em dizer que não. Meio contraditório, né? Quanto a ausência de coragem de mandar o e-mail... vai ver é medo de levar o pé na bunda.

Respeito, mas não quer dizer que tenha que gostar disso tudo. Ou será que vocês, homens, iriam adorar ouvir que dia mais, dia menos, a mulher da sua vida vai dizer que se enganou com relação à você, que tudo não passou de ilusão? Ou talvez seja melhor ouvir que toda vez que ela vai pra Miami, trai você? Quem sabe, então, seja mais agradável saber que o seu melhor amigo, se tiver uma oportunidade, agarra, mas sem sacanagem, afinal de contas, é uma coisa animalesca mesmo, uma vezinha não vai te matar...

Pra  rebater o tal e-mail aí em cima, posto os homens, por Oprah, descaradamente roubado da Ferdinanda Maria Repolhuda... rs

-Se um homem quer você, nada pode mantê-lo longe.

-Se ele não te quer, nada pode fazê-lo ficar.

-Pare de dar desculpas (de arranjarem justificativas) para um homem e seu comportamento.

-Permita que sua intuição (ou espírito) te proteja das mágoas.

- Para de tentar se modificar para uma relação que não tem que acontecer.

-Mais devagar é melhor. Nunca dedique sua vida a um homem antes que você encontre o que realmente te faz feliz.

-Se uma relação terminar porque o homem não te tratou como você merecia, "foda-se, mande pro inferno, esquece!", vocês não podem "ser amigos". Um amigo não destrataria outro amigo.

-Não conserte.

-Se você sente que ele está te enrolando, provavelmente é porque ele está mesmo. Não continue (a relação) porque você acha que "ela vai melhorar"

-Você vai se chatear daqui um ano por continuar a relação quando as coisas ainda não estiverem melhores.

-A única pessoa que você pode controlar em uma relação é você mesma.

-Evite homens que têm um monte de filhos, e de um monte de mulheres diferentes. Ele não casou com elas quando elas ficaram grávidas, então, porque ele te trataria diferente?

-Sempre tenha seu próprio círculo de amizade, separadamente do dele.

-Coloque limites no modo como um homem te trata. Se algo te irritar, faça um escândalo.

-Nunca deixe um homem saber de tudo. Mais tarde ele usará isso contra você.

-Você não pode mudar o comportamento de um homem. A mudança vem de dentro.

-Nunca o deixe sentir que ele é mais importante que você... mesmo se ele tiver um maior grau de escolaridade ou um emprego melhor.

-Não o torne um semi-deus.

-Ele é um homem, nada além ou aquém disso.

-Nunca deixe um homem definir quem você é.

-Nunca pegue o homem de alguém emprestado..

-Se ele traiu alguém com você, ele te trairá.

-Um homem vai te tratar do jeito que você permita que ele te trate.

-Todos os homens NÃO são cachorros.

-Você não deve ser a única a fazer tudo... compromisso é uma via de mão dupla.

-Você precisa de tempo para se cuidar entre as relações. não há nada precioso quanto viajar. veja as suas questões antes de um novo relacionamento.

-Você nunca deve olhar para alguém sentindo que a pessoa irá te completar... uma relação consiste de dois indivíduos completos.. procure alguém que irá te complementar.. não suplementar.

-Namorar é bacana. mesmo se ele não for o esperado Sr. Correto.

-Faça-o sentir falta de você algumas vezes... quando um homem sempre sabe que você está lá, e que você está sempre disponível para ele - ele se acha...

-Nunca se mude para a casa da mãe dele. Nunca seja cúmplice (co-assine) de um homem.

-Não se comprometa completamente com um homem que não te dá tudo o que você precisa. Mantenha-o em seu radar, mas conheça outros...

-Compartilhe isso com outras mulheres e homens (de modo que eles saibam). Você fará alguém sorrir, outros repensarem sobre as escolhas, e outras mulheres se prepararem.

-Dizem que se gasta um minuto para encontrar alguém especial, uma hora para apreciar esse alguém, um dia para amá-lo e uma vida inteira para esquecê-lo.

-O medo de ficar sozinha faz que várias mulheres permaneçam em relações que são abusivas e lesivas: Dr. Phill

-Você deve saber que você é a melhor coisa que pode acontecer para alguém e se um homem te destrata, é ele que vai perder uma coisa boa.

-Se ele ficou atraído por você à primeira vista, saiba que ele não foi o único.

-Todos eles estão te olhando, então você tem várias opções. Faça a escolha certa.

"Ladies, cuidem bem de seus corações... "
Sufocado ninguém gosta de se sentir. Passarinho preso não é feliz, gaiola nunca foi garantia pra ninguém. Pegar no pé é chato demais. Fuçar a vida alheia (celular, bolso, carteira etc) é, no mínimo, desrespeitoso - e quem procura acha. Até o que não tem. A única coisa que realmente há que se manter é o respeito mútuo. A hora que isso escoa ralo abaixo, a relação já era faz tempo. A gente escolhe onde quer estar, e os limites, cada um conhece o seu. E essa estória besta de querer analisar tudo, dar um motivo pra tudo, justificar tudo - mania típica de ser humano - não leva a lugar nenhum. Melhor mesmo é viver sem neuras.

É, acho que o negócio é manter a mente ocupada... No mais, a vida é bela. Don't worry, be happy. Carpe diem. O resto? Que se dane!!!

O cansaço torna a luta mais árdua.

Quando o corpo não ajuda... a mente precisa trabalhar em dobro pra não deixar a vontade de desistir tomar conta de tudo. Saber o que vem adiante não ajuda em nada; às vezes até atrapalha.

Enquanto houver você do outro lado eu consigo me orientar.
Fernando Pessoa

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Kiss of life

Friendly Fires



Rub that line above the sand
I can feel you closer
Closer than you'll ever be
Rub that line above the sand
I know you think it's over
Staring out into the sea

Don't let go, this could be so perfect.
Don't let go, if we hold onto it

Rub that line above the sand
Right before the tide comes
Washes you away from me

Oooooh kiss of life

Could you wave goodbye to sun?
The sea, the stars, the waves, the tide?
The wails inside, that life has died.
But all you need is a kiss of life

Rub that line out of the sky
I can feel the night crawl
A broken drum and tambourine
Rub that line out of the sky
I can see the clouds form
Taking shape in front of me

Don't let go, this could be so easy
Don't let go if you hold on to me

Rub that line out of the sky
Right before the sun falls

Oooooooh, Kiss of life
Kiss of life

A thousand butterflies, your lips to mine

Kiss of life

O que você faz soa tão alto que o que você fala ninguém escuta.

Ralph Waldo Emerson

Integridade é ter coerência entre pensamento, sentimento e comportamento. Jamais faça algo que não possa contar com orgulho que fez...  Falar é fácil, quero ver é fazer. Atitude é tudo. Sem isso, o que sai da boca não passa de um emaranhado de palavras sem valor, uma sopa de letrinhas desconexa e o dicionário que você devorou até então, não presta pra nada, a não ser fazer bonito no púlpito.

Enchantagem

Paulo Leminski

de tanto não fazer nada
acabo de ser culpado de tudo

esperanças, cheguei
tarde demais como uma lágrima

de tanto fazer tudo
parecer perfeito
você pode ficar louco
ou para todos os efeitos
suspeito
de ser verbo sem sujeito

pense um pouco
beba bastante
depois me conte direito

que aconteça o contrário
custe o que custar
deseja
quem quer que seja
tem calendário de tristezas
celebrar

tanto evitar o inevitável
in vino veritas
me parece
verdade

o pau na vida
o vinagre
vinho suave

pense e te pareça
senão eu te invento por toda a eternidade

A gente sempre destrói aquilo que mais ama em um campo aberto, ou numa emboscada;



alguns com a beleza do carinho e outros com a dureza da palavra; os covardes destróem com um beijo, os valentes, destróem com a espada.
Oscar Wilde

E vai dizer que é mentira... ou melhor, uma 'falsa verdade'? Também foi ele quem disse que “Segundo alguns, as mulheres amam com os ouvidos, exatamente como os homens amam com os olhos; admitindo-se que realmente amem.”

Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.

Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e aguentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero-os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela cara lavada e pela alma exposta.
Não quero só o ombro ou o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice. Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois os vendo loucos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.
Oscar Wilde

Teci um novo plano, criei um novo mapa, incompleto, do caminho sem limites que desenhei em mim.Confabulo com o cordão das calças. Estou ausente de botões!

Amor, ah... o amor!

Com nada muito importante pra fazer e uma angustiazinha (que eu não sei de onde veio) assolando o maledeto cuore catei o primeiro livro que vi na estante e abri numa página qualquer. Divido aqui, então, a (re)descoberta. Prefiro não me prolongar e nem divagar acerca do fato. Emudeço que é melhor.

(...)Conta a lenda que tudo que cai nas águas deste rio – as folhas, os insetos, as penas das aves – se transforma nas pedras do seu leito. Ah, quem dera eu pudesse arrancar o coração do meu peito e atirá-lo na correnteza, e então não haveria mais dor, nem saudade, nem lembranças.

Na margem do rio Piedra eu sentei e chorei. O frio do inverno fez com que eu sentisse as lágrimas no rosto, e elas se misturaram com as águas geladas que correm diante de mim. Em algum lugar este rio se junta com outro, depois com outro, até que – distante dos meus olhos e do meu coração – todas estas águas se confundem com o mar.

Que as minhas lágrimas corram assim para bem longe, para que meu amor nunca saiba que um dia chorei por ele. Que minhas lágrimas corram para bem longe, e então eu esquecerei o rio Piedra, o mosteiro, a igreja nos Pireneus, a bruma, os caminhos que percorremos juntos.

Eu esquecerei as estradas, as montanhas e os campos de meus sonhos – sonhos que eram meus, e que eu não conhecia.

Eu me lembro do meu instante mágico, daquele momento em que um “sim” ou um “não” pode mudar toda a nossa existência. Parece ter acontecido há tanto tempo, e – no entanto – faz apenas uma semana que reencontrei meu amado e o perdi.

Nas margens do rio Piedra escrevi esta história. As mãos ficavam geladas, as pernas entorpecidas pela posição, e eu precisava parar a todo instante.

– Procure viver. Lembrar é para os mais velhos – dizia ele.

Talvez o amor nos faça envelhecer antes da hora, e nos torne jovens quando a juventude passa. Mas como não recordar aqueles momentos? Por isso escrevia, para transformar a tristeza em saudade, a solidão em lembranças. Para que, quando acabasse de contar a mim mesma esta história, eu a pudesse jogar no Piedra – assim me dissera a mulher que me acolheu. Então – lembrando as palavras de uma santa – as águas poderiam apagar o que o fogo escreveu.

Todas as histórias de amor são iguais.

Tínhamos passado a infância e a adolescência juntos. Ele partiu, como todos os rapazes partem das cidades pequenas. Disse que ia conhecer o mundo, que seus sonhos iam além dos campos de Soria.

Fiquei alguns anos sem notícias. De vez em quando recebia uma carta ou outra, mas isto era tudo – porque ele nunca voltou aos bosques e às ruas da nossa infância.

Quando terminei meus estudos, mudei para Zaragoza – e descobri que ele tinha razão.

Soria era uma cidade pequena e seu único poeta famoso dissera que o caminho é feito ao andar. Entrei para a faculdade, e arranjei um noivo. Comecei a estudar para um concurso público que não acontecia nunca. Trabalhei como vendedora, paguei meus estudos, fui reprovada no concurso público, desisti do noivo.

Suas cartas, então, começaram a chegar com mais freqüência – e, pelos selos de diversos países, eu sentia inveja. Ele era o amigo mais velho, que sabia tudo, percorria o mundo, deixava crescer suas asas – enquanto eu procurava criar raízes.

(...) Depois, apaguei a luz, e fiquei pensando no silêncio junto ao poço. Naqueles momentos em que não conversamos foi que percebi o quanto estava próxima dele.

Nenhum dos dois havia dito nada. É desnecessário conversar sobre amor, porque o amor tem sua própria voz, e fala por si próprio. Naquela noite à beira do poço, o silêncio permitiu que nossos corações se aproximassem e se conhecessem melhor. Então, meu coração escutou o que seu coração dizia, e sentiu-se feliz.

Antes de fechar os olhos, resolvi fazer o que ele chamava de 'exercício do Outro'.

'Estou aqui neste quarto', pensei. 'Longe de tudo a que estou acostumada, conversando sobre coisas pelas quais nunca me interessei, e dormindo numa cidade onde jamais coloquei os pés. Posso fingir - por alguns minutos - que sou diferente.'

Comecei a imaginar como gostaria de estar vivendo naquele momento. Eu gostaria de estar alegre, curiosa, feliz. Vivendo intensamente cada instante, bebendo com sede da água da vida. confiando novamente nos sonhos. capaz de lutar pelo que queria.

Amando um homem que me amava.

Sim, esta era a mulher que eu gostaria de ser - e que de repente aparecia, e se transformava em mim.

Senti que a minha alma se inundava com a luz de um Deus - ou uma Deusa - em quem não acreditava mais. E senti que, naquele momento, a Outra deixava meu corpo, e sentava-se num canto do pequeno quarto.

Eu olhava a mulher que tinha sido até então: fraca, procurando dar a impressão de forte. Com medo de tudo, mas dizendo para si mesma que não era medo - era sabedoria de quem conhece a realidade. Construindo paredes nas janelas por onde penetrava a alegria do sol - para que seus móveis velhos não ficassem desbotados.

Vi a Outra sentada no canto do quarto - frágil, cansada, desiludida. Controlando e escravizando aquilo que devia estar sempre em liberdade: seus sentimentos. Tentando julgar o amor futuro pelo sofrimento passado.

O amor é sempre novo. Não importa que amemos uma, duas, dez vezes na vida - sempre estamos diante de uma situação que não conhecemos. O amor pode nos levar ao inferno ou ao paraíso, mas sempre nos leva a algum lugar. É preciso aceitá-lo, porque ele é o alimento de nossa existência. Se nos recusamos, morreremos de fome vendo os galhos da árvore da vida carregados, sem coragem de estender a mão e colheer os frutos. É preciso buscar o amor onde estiver, mesmo que isto signifique horas, dias, semanas de decepção e tristeza.

Porque, no momento em que partirmos em busca do amor, ele também parte ao nosso encontro.

E nos salva.

Quando a Outra se afastou de mim, meu coração voltou a conversar comigo. Contou-me que o furo na parede do dique deixava passar uma correnteza, os ventos sopravam em todas as direções, e ele estava feliz porque eu o escutava de novo.

Meu coração me dizia que eu estava apaixonada. e eu dormi contente, com um sorriso nos lábios.(...)
Paulo Coelho, in: Nas Margens do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei
Já eu... espero que a estória que hoje vivo seja longa, extraordinária e infinitamente feliz. Será que peço muito??

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Shakespeare??

Quanto mais fecho os olhos melhor vejo;
o dia todo vi coisas vulgares;
mas quando durmo em sonho te revejo;
pondo no escuro luzes estrelares;
tu, cuja sombra faz brilhar as sombras;
pois tanto brilho no negror produzes?
Como podem meus olhos abençoados;
assim te ver brilhar em pleno dia;
quando na noite escura deslumbrados;
dentro de fundo sono eu já te via?
Meu dia é noite quando estás ausente;
e a noite eu vejo o sol se estás presente


A verdade é que não te amo com meus olhos que descobrem em ti mil defeitos, mas com meu coração, que ama o que os olhos desprezam. Shakespeare é fantástico. Sempre.

Boatos, intrigas, calúnia, mentira, inveja, traição e maldade

A Calúnia de Apeles - Sandro Botticelli, 1494-5


Sabe o que eu mais gosto em Shakespeare? A atualidade dos seus temas. Por incrível que pareça a humanidade é tendenciosa e peca sempre nos mesmos erros.

Infelizmente, não há uma só pessoa na terra que não tenha experimentado o amargor de estar enleada numa teia de intrigas, manipuladores e afins. Triste, mas real.

Neste texto dramático de William Shakespeare, deparamo-nos com uma tragédia na qual o herói, Otelo, é o general reconhecido pelo sucesso obtido nos campos e mares de batalha, de onde sempre traz a vitória aos venezianos. Ao assumir a posição de chefe de Estado em Chipre, nomeia Cássio como seu segundo homem, despertando a inveja de Iago, que irá conduzir a ação rumo ao caos, característica própria da tragédia shakespeareana. A trama desenvolve-se em torno desse sentimento de inveja e do ciúme que Iago instila em Otelo, fazendo-o acreditar que sua esposa Desdêmona o trai com o tenente Cássio. O conflito entre o sentimento de amor que o general nutre pela mulher, e a desconfiança incitada por Iago, termina conduzindo à queda do herói, que, debilitado psicologicamente, mata a amada, sufocando-a com travesseiros. Declarado assassino, Otelo é destituído do posto de general e é sentenciado à prisão. Seguindo o modelo do herói estóico do teatro elizabethano, Otelo profere o seguinte monólogo, antes de suicidar-se com um punhal, diante dos representantes do governo veneziano:

Uma palavra ou duas, por favor.
Fiz serviços ao Estado; eles o sabem –
Não importa. O que peço é que nas cartas
Em que contarem estes tristes fatos,
Falem de mim qual sou. Não dêem desculpas,
E nem usem malícia. Falem só
De alguém que, não sabendo amar, amou
Demais. De alguém que nunca teve fáceis
Os ciúmes; porém que – provocado –
Inquietou-se ao estremo; cujos dedos,
Como os do vil hindu, jogaram fora
Uma pérola rara, mais preciosa
Que toda a sua tribo; alguém que alheio
Ao hábito das lágrimas, verteu-as
Em abundância, como verte a goma
A seiva de uma árvore da Arábia.
E digam que em Alepo, certo dia,
Quando um maligno turco de turbante
Agrediu um varão veneziano
E insultou rudemente a sua terra,
Peguei a goela ao cão circuncidado
E o golpeei assim!
(HELIODORA, 2006. p.692)


O boato é habitualmente criado pelo inimigo ou adversário que, descobrindo uma descontinuidade, ou uma zona de distorção, imediatamente se dispõe a utilizá-la e a fazer disso uma arma de arremesso. É por isso uma arma dos fracos. E dos covardes. Os autores do boato nunca se revelam. Alimentam-se no - e do - anonimato. E dá-se muitas vezes o caso de o autor do boato remeter para uma fonte a montante. Por isso, na maior parte dos casos, não há propriamente um autor, há antes uma confraria que vai acrescentando um ponto ao conto.

Na mesma família do boato existe um processo de distorção da realidade, com o objetivo de prejudicar terceiros, que é a intriga. A intriga é um sistema, é um caldo de cultura, em que se fabricam os boatos. O boato é o produto do campo da intriga. E a intriga tem os seus cultivadores, semeadores. Pessoal altamente especializado que reorganizou a inveja e a incapacidade de 'fazer' neste sistema de detração universal. Os intriguistas são seres ultrapassados pelo comboio da vida a quem não resta senão atirar pedras, tanto mais tontas e inconsequentes, quanto maior for a velocidade a que ele se desloca. A calúnia é já um processo de mentira objetiva e dolosa. O caluniador sabe que está a mentir e que a sua mentira prejudicará o visado, mas usa-a deliberadamente para produzir o efeito pretendido. A calúnia tem um emissor identificado. Ela não é uma estratégia anônima como o boato, e é, por isso, menos covarde na metodologia, mas igualmente dolosa no processo e na má-fé.

O problema da boato, da calúnia e da intriga é que se constituem como uma economia paralela à economia da verdade. Diminuem o PIB e aumentam o déficit. São forças de bloqueio à produção de riqueza e ao aumento da coesão social. A intriga é uma arma dos pobres de espírito que, sendo incapazes de produzir e de se afirmar por aquilo que são, tentam sobreviver à custa de afirmar aquilo que os outros não são.

Há milhares de Iagos espalhados por aí. Homens e mulheres escondidos atrás de máscaras ridículas de vítimas iverossímeis que demoram a cair. Estragam as relações das pessoas porque elas mesmas não sabem se relacionar com os outros. Mentem, manipulam, traem, gerenciam intrigas e calúnias das mais variadas formas, plantam rumores e fofocas e invejam o que não possuem e quando não possuem ou se lhes escapa das mãos, não medem esforços na maldade para reconquistar o 'prêmio'. E enganam a todos, sem remorso, nunca tomando a culpa para si, são sempre vítimas das intrigas e calúnias que elas mesmos criaram. Não há limites para a maldade. Ai de quem se põe diante de seu caminho!

Não consigo enxergar uma vantagem sequer em conseguir aquilo que se quer passando por cima de todos os valores, esmagando as pessoas, denegrindo-as e criando estórias inexistentes só para ver o circo pegar fogo. Achando que, assim, tira-as do caminho. Lobos em pele de cordeiro. Infelizmente quando você descobre, já é tarde...

Com sorte, um dia a máscara cai. Um dia... Assisto de camarote, pois!

Já estava a ir-me quando me lembrei de um trechinho de Paulo Coelho - e nisso ele estava certo - que diz que:

O demônio é sábio: podendo evitar trabalho, ele evita.
Sempre que pode, ele lança mão de sua armadilha mais fácil e mais efetiva: a intriga.
Quando a usa, o demônio faz pouco esforço - porque é o próprio homem quem trabalha para ele.
Com palavras mal dirigidas, são destruídos meses de dedicação, anos em busca de harmonia.
Frequentemente somos vítimas desta armadilha.
Não sabemos de onde vem o golpe covarde, e não temos como provar que a intriga é falsa.
A intriga não permite o direito de defesa: condena sem julgamento.
Assim como às vezes somos as vítimas, outras vezes somos tentados a exercer o papel do carrasco.
Por isso, cuidado com as palavras; elas têm poder, e o demônio sabe disso.

Inteligente, o homem...

Nunca deixo saber aos meus sentimentos o que lhes vou fazer sentir…
Brinco com as minhas sensações como uma princesa cheia de tédio com os seus grandes gatos prontos e cruéis…
Fecho subitamente portas dentro de mim, por onde certas sensações iam passar para se realizarem. Retiro bruscamente do seu caminho os objectos espirituais que lhes vão vincar certos gestos.
Fernando Pessoa in: Livro do Desassossego


Escrito conforme o autor.



Será que eu preciso aprender a ser um pouquinho só mais racional????

Looking for something...

Era





Looking for something
Something new
Something good
Something fast
Something exciting

Looking for something
Something won
Something real
something strong
Something exciting

Ande more mi iaci felissior
Ande valantiam graci me felor
Ande more mi portia velissimo
Ande valoriam graci me felor

Looking for something
Something won
Something good
Something strong
Something exciting

Looking for something
I wanna share something
I wanna feel
Something won
Something real
Something exciting...

O tempo leva tudo

O que você quer e o que não. O tempo leva tudo. O tempo arrasa tudo. E, no final, só resta a escuridão. Às vezes, encontramos outros nessa escuridão. E outras vezes, perdemos eles de novo.
Stephan King


Esse 'encontro na escuridão' realmente existe, eu sei, mas não estou nem um pouco a fim de perder ninguém nela. rs Acho que ando tão brilhante que nem entro...

Sobre blog e afins

Dia desses estava comentando - ou melhor, estavam a comentar comigo - sobre o(s) motivo(s) que leva(m) uma pessoa a criar um blog assim, um tanto quanto pessoal e expôr-se diante de pessoas - grandes e pequenas, porque sempre vai existir uma meia dúzia de espíritos de porco capazes de imaginar um bando de coisas idiotas a respeito de quem vos fala aqui, uns trocentos que tiram conclusões precipitadas sobre estilo de vida e afins, uma centena que a-do-ra uma fofoquinha aqui e outra ali, além de uns muitos que criam estorinhas absurdas em cima da minha pessoa, coisa trágica qualquer estilo tragédia grega (ou shakespeareana, seria melhor), esquecendo o fato de que há muito aqui em forma de ensaios 'nadaavercomnada'.

Por mim, tudo bem, mas confesso que, às vezes chega a ser uma chateaçãozinha porque acaba me atirando em frente a um muro que vai beeeem contra as minhas convicções... além de atingir algumas pessoas que gosto - e muito - de forma quase negativa.

Lógico que quem cria um blog se expõe e está fadado a ser extremamente criticado - construtiva e destrutivamente - e esse, confesso, não é o meu problema. O que me incomoda é ser mal interpretada ante situações que seriam tão corriqueiras, cotidianas e que ninguém daria assim tanta importância se não estivesse lendo o 'assunto do dia'.

(Opa! 'Assunto do dia'... é o que eu tenho sido vez ou outra. Mas não do modo que você que me lê imagina. Não sei, as pessoas prejulgam, fazem uma idéia da situação - ou não sabem lhufas de nada e mesmo assim insistem em dar pitaco na vida dos outros, coisa de ser humano pequeno MESMO! - e acham que descobriram o 'ó do borogodó'; ficam ali, imaginando se tudo o que acontece na face da terra tem a ver com a pessoa aqui.

Tenho inúmeros defeitos e assumo todos eles; já disse isso aqui um milhão de vezes, mas EGO SUM QUI SUM. Nem mais, nem menos.

Não sei bem o porquê disso tudo mesmo. O blog realmente começou como uma fugazinha da realidade ridícula que me impus (lógico, a gente se deixa, cansei de escrever aqui sobre isso também). Solidão acompanhada, frustração, necessidade de criar... talvez um pouco de tudo, sim. E achei que minha experiência de vida, meus devaneios e minhas criações literárias - que não são poucas, eu sei, a criatividade aqui voa longe - poderiam ajudar a alguém. E foi realmente o que aconteceu. Muita gente boa apareceu por aqui. E algumas delas foram verdadeiros presentes divinos, pois tornaram-se mais que amigos, mas passaram a fazer parte da minha existência. Sou muito grata ao(s) blog(s) por isso.

Nem teria mais motivo pra isso, visto que a vida surpreende e muito. E me surpreende a cada minuto que respiro. Minha vida virou de cabeça pra baixo e fiz todos os loopings possíveis e imagináveis. De repente o que me incomodava já não faz mais parte do que vivo. Finalmente sou eu mesma outra vez. E Deus tem permanecido com a mãozinha denscansando no meu ombro esquerdo...

Tal qual o náufrago interpretado por Tom Hanks em sua iluminadíssima fala (já falei sobre isso também - nossa! Repetitiva, não?), 'Eu tenho que continuar respirando, porque amanhã o sol nascerá. E quem sabe o que a maré poderá trazer?' Isso me faz pensar que, se eu tinha mesmo que passar por tudo, exatamente tudo o que passei, pra chegar onde cheguei - eu sei, tenho muito a trilhar ainda e espero dar conta do negócio (no fundo, sei que dou) - valeu a pena. Tudo valeu a pena.

Há pessoas que são pontes para outras (roubando a idéia da minha amiga/irmã Jana)... quem sabe eu não tive as minhas e só agora me dou conta disso? Não sei se é possível expressar em palavras tudo o que tenho experimentado - e talvez não seja mesmo -, mas talvez haja mesmo um quê de misticismo, energia ou seja lá o nome que queira dar a isso. Certas coisas simplesmente acontecem e não têm explicação alguma. E deixo-as assim, inexplicáveis mesmo que é melhor. Não quero porquês, nem conjunção alguma no meio disso tudo.

Hoje o sol nasceu lindo, num céu maravilhosamente limpo e azul. E a maré, ah, a maré me tem trazido tanta coisa boa... Felicidade não tem preço. Pago pra ver, mas 'keep the change'. rs O meu presente é uma dádiva mesmo. E muito, mas muito feliz...

P.S. HAJAONTEMPARATANTOHOJE.BLOGSPOT.COM Esse deveria ser o nome do blog.Quem sabe não encerro esta etapa, então? Seja o que tiver que ser, como tiver que ser, o tempo que desejar. Eu só quero é ser feliz e trazer felicidade. Como disse, só quero somar. O resto, Deus sabe o que faz.

P.P.S. É, Robert Zemeckis, sobreviver é fácil, viver é que é difícil. Mas é tão bom...

Eu sou volátil, mas JAMAIS volúvel



Em I Coríntios, 13, diz: 'Tenha certeza que três coisas permanecem: a fé, a esperança e o amor, mas a maior de todas é o amor."

Emburreço, às vezes...

Nossa! Tempinho sem postar aqui, mas me ocorreram tantas coisas que quase atropelo a mim mesma. Coisinhas, detalhezinho qualquer que a gente passa batido - que são importantíssimos para o desenrolar da coisa -, nem vê. Esse tipo de coisa quase (e friso bem o 'quase'), cegaram a minha pessoa aqui. Sabe aquela freada com gosto? Aquela em que você está a uns 130 km/h numa estrada perfeitinha (de longe parecia, ao menos) e de repente aparece qualquer coisa do nada, como se tivesse caído do céu bem ali, pra atrapalhar o andamento da viagem egotrip, talvez? rs - isso me lembrou Maurício Gasperini e Rádio Táxi - gente, amo vocês...) e você, além de pisar fundo no freio (ainda bem que tem ABS porque as condições não eram assim tão boas) e pra garantir ainda puxa o freio de mão? Se pudesse desligava o carro de uma só vez e acionava o botãozinho de ejetar (ah, mas esse infelizmente não vem equipado com esse opcional).

Enfim, ao que interessa...

O ser humano tem uma capacidade incrível de emburrecer com o tempo (apesar de já nascer burro, melhora um tiquinho e depois, cai outra vez). É isso mesmo. Emburrecer. Perder um tantico da inteligência, da esperteza e, de quebra, parte significativa da massa encefálica. Nós, mulheres, então... nossa! Temos uma capacidade incrível de 'emburrecer' cada vez que nos relacionamos com o sexo oposto. Friso aqui relacionamentos afetivos. De repente, aquele furacão que somos, o poço de inteligência, de destreza, de auto-confiança e afins... emburrece! E isso é sério. E de 5 frases ditas, grande parcela das que saem das boquinhas avermelhadas tanto desejadas por eles, homens, começa com 'será que ele...'. Hilário? Chega a ser mesmo. Mulheres, meninas, moças e até aquelas que tem uma fama não muito bacana, emburrecem emocionalmente.

Ah, homens, mal imaginam vocês o poder que exercem sobre a alma feminina... quando querem, lógico. Roubando a frase do Ney, amigo da Jana: 'Tendo-me como referencial, o amor é cego, surdo, mudo, tetraplégico e retardado.' Completo eu: precipício? E eu lá sei voar???? E lá vamos nós atirar estes nossos corpos cuidadosamente desenhados e nossas cabecinhas brilhantes precipício abaixo... Uma lástima, mas são com essas quedas fantásticas que aprendemos (algumas nunca aprendem) que a vida é, sim, um grande, imenso jogo de xadrez. E nós somos meros peões (ou coisa melhor) avidamente expostos no tabuleiro por alguém que chamamos de 'nós mesmos'. Não, meus caros, Deus não tem nadica de nada a ver com isso. Nós jogamos e nos jogamos. E somos nós mesmos - sinto lhe informar - quem nos suicidamos (olha a redundância aí, gente!!)ali, diante de um rei qualquer, no espaço que criamos, numa estória que a gente escreveu. E ainda assim, há beleza na queda. As cicatrizes, expõe quem quer. Assumo: sou bem feliz com as minhas. Sinto-me viva e prossigo. E sempre digo que não vai acontecer outra vez, que não me permito e todo aquele blábláblá que já estão todos carecas de saber... e lá vou eu de encontro ao engodo outra vez. É. Eu também emburreço, às vezes. Noutras, acordo antes de arrancar o cérebro pra fazer picadinho. Mas algo sempre se perde. E algo sempre se ganha. Nunca saímos de mãos vazias.
(Isso me lembrou 'Agora eu sei', escrita por Freddy Haiat e Guilherme Isnard, da banda Zero, que embalou muitos sonhos meus e diz assim: 'Quem vive mente mesmo sem querer/E fere o outro, não pelo prazer/Mas pela evidente razão, sobreviver'... aquela coisa do jogo, lembra?)

Sem nexo? Talvez. O lado bom da coisa é que quando a gente 'emburrece', enxerga menos (o pior cego é aquele que não quer enxergar), ouve menos (seleciona só as coisas boas) e não vê nada de errado nisso. Chega a ser um engodo 'bom'. Seria cômico se não fosse tão trágico. Daria uma ótima tese. Mestrado, doutorado... você escolhe!

E como diria Gonzaguinha: '...é a vida, é bonita e é bonita!' Por quê? À *erda com os porquês... Isso é amor.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Esclarecimentos

Aos desavisados... Tudo o que for postado aqui como ENSAIOS, não passa disso. São criações, textos, crônicas e afins que não condizem em nada com minha realidade. É o exercício pleno de minha criatividade. Deixo cá bem claro, antes que alguns tirem suas próprias conclusões - errôneas, as usual. Não que isso venha a me prejudicar, mas pode afetar àqueles que me são próximos. Massas encefálicas... não só de síndrome de diário sobrevive um blog... rs

4:42

E assim se segue a minha árdua luta contra a insônia... TV ligada, zapeando há umas duas horas tentando achar algo que preste pra tirar o foco de qualquer outra coisa, mas anda meio difícil. Tantos canais e nada! Depois do meu fiasco do 'Queime depois de ler', com um bando de gente famosa como Brad Pitt (comédia? só se for o maior besteirol de todos!), uma alusão à traição e a cada um por si, além do lugar-comum: faço tudo por uma cirurgia plástica. Sei lá aonde os irmãos Coen estavam com a cabeça. Pra mim, foi uma verdadeira perda de tempo... De vida e de outras coisitas mais.

Desculpa, mas eu estou muito além do que você possa imaginar.

Não faço parte da média, então não me classifique como as outras. Meus princípios e verdades são outros. Não use esse 'lugar-comum' como desculpa para seus próprios medos... ou pior, como desculpa para justificar futuros atos seus. Há mulheres e mulheres. Eu me encaixo nas parcas com maiúsculas. E assumo tudo o que faço, mas não jogue nas minhas costas o que não me é de direito. Não sou obrigada a assumir o que não fiz. Quando se der conta disso...
Às vezes, é bom dar uma olhadela nos seus próprios atos antes de falar qualquer coisa... Quer uma lista? Qualquer hora dessas eu te dou. Depois não reclama.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Como reconhecer um... cafajeste

Não deu pra resistir. Tomei emprestada a reportagem da revista Marie Claire n°214 (p. 48-52), que tem na capa a belíssima Angelina Jolie.
(...)
Como reconhecer um...cafajeste
(...)Para começar, o tipo cafajeste é realmente sedutor - e, se nossa autoestima estiver baixa e a carência, alta, ele vai parecer ainda mais irresistível. "O cafajeste é propaganda enganosa", diz Fabrício Carpinejar, autor do livro de crônicas "Canalha!" (ed. Bertrand Brasil). Para ele, a mulher que se deixa levar pelo "cafa" é carente e pouco exigente. "Como ele cria um papel, e certamente será desmascarado, procura as mais ingênuas. Assim, a farsa dura mais."

Segundo a antropóloga Mirian Goldenberg, autora de livros como "Coroas - Corpo, Envelhecimento, Casamento e Infidelidade" (ed. Record), esse tipo é competente para satisfazer o desejo de toda mulher de ter um homem que a faça se sentir única e insubstituível. "O cafajeste conhece a técnica de sedução para conseguir que tanto a esposa quanto a amante, ou várias namoradas, acreditem que são 'o amor da vida dele'", afirma Mirian. Ainda que alguma delas note pistas de que ele não está sendo sincero, é quase certo que se apegue à idéia de que "comigo vai ser diferente, meu amor irá mudá-lo". Um erro. "Só mudarão os falsos cafajestes" ,diz a psiquiatra e psicanalista francesa Marie-France Hirigoyen, autora de "A Violência no Casal" (ed. Bertrand Brasil). "O verdadeiro não pode ser transformado porque tem necessidade de esmagar o outro para existir."

Até o rótulo de cafajeste, um tanto genérico, contribui para sermos atraídas para emboscadas. Acontece que os "cafas" não seguem um único script. Ao contrário, podem assumir diferentes personagens, tornando mais difícil desmascará-los antes de o estrago estar feito. Como medida preventiva, confira suas várias faces. Talvez dê para enxergar o sinal amarelo a tempo de frear na próxima vez em que um deles cruzar o seu caminho.

O insensível
Ele é como um marinheiro, em constantes viagens pelo mundo. Não quer envolvimento, apenas curtir momentos ao lado de uma mulher, sempre com o olhar voltado para o horizonte, já pensando no próximo porto. Existe alguém mais irresistível do que esse aventureiro insensível, cheio de histórias e perfumes de diferentes lugares, com o dom de desaparecer antes mesmo de o romance ter começado? Ele pode ser visto como um cafajeste, mas tambbém como um herói. O problema é que só trabalha em causa própria. Você sofre porque ele some justamente quando está apaixonada e envolvida. O que ele pode fazer, se nunca lhe prometeu nada e o amor nem é o seu objetivo? No fundo não há como censurá-lo.
Por que ele é assim? Pode ser que esteja se protegendo do amor ou que esse sentimento não lhe diga nada."Para dar e receber amor, é preciso, antes de mais nada, ter essa cultura", diz o psiquiatra francês Serge Hefez. "Isso significa ter sido amado o suficiente quando criança. Mas, frequentemente, esses homens nem sabem o que é o amor. Alguns estão absorvidos demais em si mesmos, outros estão apenas em busca de qualquer coisa que os leve embora. Nos dois casos, a relação de amor é vista como egocentrismo ou freia suas aventuras."

O predador
Consumista, enxerga as mulheres expostas em uma arara e com uma data de validade que raramente ultrapassa um fim de semana. Ama o romance pronta-entrega e pode até ser grosseiro ou agressivo ao receber uma recus. Acha-se irresitível e seduz com frases do tipo "Eu sinto algo especial entre nós". Gosta de ostentar, coleciona cartões de crédito e ama espelhos no quarto para se ver em ação. Ele "caça" mesmo acompanhado e é capaz de trair sua mulher com a melhor amiga dela. Nos sites de relacionamento, procura variados perfis (ou seja, qualquer uma) e está sempre disposto a fazer promessas de amor eterno.
Por que ele é assim? Tem a autoestima baixíssima e, por ser desprovido de amor-próprio, trata suas mulheres com o mesmo desprezo. Como inconscientemente acredita não merecer quem seduz, sabota a rlação. Mas há outra possibilidade: amar não é sua prioridade. Já que as ambições profissionais e/ou sociais ocupam todo o seu tempo, o sexo sem envolvimento basta para ele.

O dominador
Sufoca, esmaga e destrói. É o ás das críticas e, na intimidade ou em público, sabe desvalorizar sua mulher como ninguém. Os três quilos perdidos são "comemorados" com a desagradável frase "Você não tem mais peitos". Convencido de que é um erudito, impõe seu ponte de vista como e fosse um especialista, seja qual for o tema em pauta, de geopolítica a coloração de cabelos. A parceira acaba se anulando e desenvolvendo ferrenha autocensura.
Por que ele é assim? "Sua sobrevivência psíquica parece estar ligada à depreciação dos outros. Ele é como alguém que se agofa e esmaga a cabeça do seu salva-vidas para sobreviver", compara a terapeuta comportamental Isabelle Nazaré-Aga, da França. Ao oprimir o outro, ele se sente poderoso. Não raro, esse homem se acha a parte inferior do casal, seja porque seu trabalho é menos valorizado e ele ganha menso ou porque seu grua de instrução é menor do que o da parceira.

O narcisista
Charmoso e cativante aé o momento em que você cometer o "erro" de ter problemas. diante de depressão, doenças, dificuldades no trabalho, desemprego e afins, ele sai pela tangente. É que ele não suporta qualquer coisa que possa provocar máculas à própria imagem e sonha em formar um casal tão perfeito que faria o Ken e a Barbie morrerem de inveja. Enão, se você não está mais em forma - ou, pior, ele julga que nunca esteve -, "procurará outro alguém com quem poderá passar uma imagem que lhe permita continuar em seu pedestal", diz Marie-France.
Por que ele é assim? "Espera que o casal cure seu mal-estar interior. O que oferece não é nada além de um amor narcisista e é difícil distinguir a adoração do ser amado da adoração de si mesmo", afirma Marie-France. Hefez completa: "Ele não tem autoestima devido a decepções precoces. Mal-amado, não-amado, rejeitado, o que resta senão amar a si mesmo?"

O medroso
O amor é encarado como contratempo. Pode se mostrar atencioso, amável, feliz em interagir com seus amigos e sempre disposto a fazer declarações. Mas, quando perceber que você está pronta a transformar o "eu" em "nós", entrará em pânico e se tornará distante ou sumirá. Recusará por e-mail!) até os programas que ele mesmo planejou com você. Pode até cancelar um casamento marcado. Você não poderá fazer nada, pois o problema é com ele mesmo.
Por que ele é assim? "Tem medo de se peerder e ser engolido pelo amor, de ser abandonado ou traído", afirma Marie-France. "Sua infância não o permitiu elaborar bases suficientemente sólidas para que seu narcisismo aceite que amar é também correr o risco de sofrer. Como as relações afetivas não oferecem garantias, alguns preferem fugir. Outros se tornam agressivos para mascarar o menininho amedrontado dentro dele."

O mentiroso
Nunca sabe o nome do hotel que esteve agora há pouco nem lembra seu número de telefone para avisar que vai demorar. Quando muito, é possível alcançá-lo no celular. Se você o questiona sobre as reuniões repentinas aos omingos, ele contra-ataca: "Para fazer uma pergunta dessas, você deve ter algo a esconder!" Marie-France analisa: "Seu objetivo é sempre estar por cima. Assim, desestabiliza a mulher e a leva a duvidar da veracidade daquilo que acaba de acontecer ou de ser dito."
Por que ele é assim? Porque funciona para ele. Esse homem ama a si mesmo e seu único objetivo éo próprio conforto, por isso adapta os cenários às suas necessidades. Pouco importa o que o outro sente. Ele construiu uma imagem negativa das mulheres, que vê como poderosas, logo perigosas. Então, na presença delas, se sente subjugado e reage.

O desapegado
Mantém o rídigo controle sobre si e não gosta de se arriscar. Você sempre o leva para casa (nunca cogitam ir à dele) ou a um hotel e ele parte às 3h sem explicações, cafés da manhã a dois ou aparições em público. Nunca a apresenta aos amigos nem quer conhecer os seus. Jamais tiram férias juntos. Apaixonada, você nem percebe. Até ele desaparecer.
Por que ele é assim? "O amor é visto como uma complicação a mais em um mundo já difícil e ele prefere ficar na esfera confortável das relações sem amanhã", analisa Marie-France. Outra possibilidade: ele idealiza demais e, como encontrar a perfeição e impossível, seus relacionamentos são sempre mornos. "Ele vive inconscientemente o fracasso de suas relações como se isso fosse benéfico, pois seus fantasmas e ilusões continuam intactos", diz a psicanilista francesa Sophie Cadalen.

O adolescente
Não quer crescer e abandonar os maus hábitos que aprendeu com a mamãe. Mesmo que esteja comprometido, ele continuará a se ver como um garoto solteiro. Seus amigos são suas prioridade, e tranquilamente, a abandonará um fim de semana inteiro por qualquer diversão com eles. Colocará sempre os pés na mesa e nunca os pratos na pia. O problema é que ele a vê como mamãe-empregada-gueixa.
Por que ele assim? Foi criado com a ideia de que "mulheres devem servir aos homens, consolá-los e dar-lhes estabilidade", diz Marie-France.

O perverso
Atencioso no começo, faz com que se sinta "a eleita". Como sabe fingir reciprocidade, logo a deixa viciada nele. Mas, quando você mostra que foi fisgada, seu comportamento muda. Apenas na intimidade. A sós, ele destrói sua autoconfiança, mina suas certezas, alimenta suas culpas. Em público, continua agindo como um perfeito príncipe. É sua tática para mantê-la isolada. De que adianta desabafar se ninguém acreditará em você?
Por que ele é assim? "Recusar-se a ter uma comunicação direta é sua grande arma. A mulher se vê obrigada a fazer exigências e dar respostass que levam a cometer erros. E ele sempre enfatiza esses erros para lembrar sua nulidade", avalia Marie-France. Resultado: a parceira se sente esvaziada, idiota e sozinha. O tipo destrutivo não sabe ser de outra forma. "Normalmente, foi machucado na infância e tenta sobreviver da forma como aprendeu. Para muitos, é impossível não associar amor ao ódio."

É. Pior que é verdade mesmo. Mas acrescentaria ainda um outro tipo, nem sei que nome atribuiria à ele, mas tem um pouco de todos os tipos, é um mix de todos. Esse é o pior deles, porque você jamais crê que, lá no fundo, ele não passa de um mero cafajeste. Por que ele é assim? Ah, isso eu explico em outro post porque esse já ficou longo demais e o assunto vai longe. Bem longe.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

É. Eu voltei.

Bom, antes de mais nada, não vou justificar a minha ausência. Andei meio ocupada vivendo o 'absurdamente feliz'. Mas a cabeça - que de oca não tem nada - começa a se doar a 'achismos' e entra num parafuso só. Melhor atrelar o 'absurdamente feliz', a 'loucura boa' (saudades de dizer isso...) à blogoterapia outra vez.

O que é que eu posso fazer se tenho um turbilhão de idéias ameaçando um tsunami devastador, um terremoto de magnitude 10 na Escala Richter, uma série de tornados F6 e por aí vai? Sabe qual é o nome disso e que eu tanto evitava falar? Amor. E eu que demorei tanto a baixar a guarda... rs

Quer coisa mais idiota do que amar? Pensemos, pois, juntos... A razão teima em dizer:
- Pense antes de saltar!
O coração vem desgraçar:
- Salte antes de pensar!
Esses dois caminhos são diametralmente opostos! Ui! Saltar numa situação perigosamente viva, sem calcular nada de antemão? Que suicídio!!! Loucura, por certo. Loucura boa...

Fecho o post com Mario Prata. Se nem ele sabe explicar... quem dirá eu?
Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue.
Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta um capítulo.
Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego.
Preocupação é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento.
Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa.
Certeza é quando a idéia cansa de procurar e pára.
Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.
Pressentimento é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista.
Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora.
Ansiedade é quando sempre faltam muitos minutos para o que quer que seja.
Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.
Sentimento é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado.
Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.
Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração.
Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma.
Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.
Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente mas, geralmente, não podia.
Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.
Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato.
Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele.
Paixão é quando apesar da palavra ¨perigo¨ o desejo chega e entra.
Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado.
Não... Amor é um exagero... também não.
Um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego?
Talvez porque não tenha sentido, talvez porque não tenha explicação,
Esse negócio de amor, não sei explicar.

Conselho: se fosse bom a gente não dava, mas vá lá!

Fique num estado de "não-saber". Viva a partir desse estado. Olhe as árvores como uma criança, olhe a lua como um poeta, olhe o céu como um louco!
Você deve estar se perguntando se eu surtei, enlouqueci de vez, bati os pinos, pirei, não é?
Pode ser. Não sei. Mas isso significa viver o hoje e não o amanhã. O amanhã não importa e sabe por quê? Porque não existe um "amanhã" se não houver um "hoje". Já disse isso em algum momento desse blog (ou vários!).
O mais belo momento da vida de uma pessoa é quando não há nem confusão nem certeza. Ela simplesmente é. Um espelho refletindo aquilo que é sem nenhuma direção, indo pra lugar algum, sem idéia de fazer algo, sem nenhum futuro, só absolutamente no presente, intensamente no presente.
Caraca! Quanta utopia! No fundo até Buda deve ter pensado no futuro! De que maneira iria passar adiante seus ensinamentos? Com todo o respeito.

Alice in Wonderland


- Não posso acreditar nisso - disse Alice.

- Não pode? - perguntou a rainha, com uma certa pena. - Tente de novo: inspire profundamente e feche os olhos.

Alice riu:

- Não adianta tentar. Não se pode acreditar em coisas impossíveis.

- Atrevo-me a dizer que você ainda não tem muita prática - respondeu a rainha. - Quando eu era menina, sempre praticava meia hora por dia. Ora, às vezes eu chegava a acreditar em umas seis coisas impossíveis antes do café da manhã.

(Lewis Carroll in: Alice no País das Maravilhas)



Qualquer semelhança com a pessoa aqui, é mera coincidência. Será? Eu sou a rainha dos "improváveis, mas jamais impossíveis". Custa-me crer que não possa alguma coisa.

P.S. Tem um certo alguém que, vira e mexe, insiste em me chamar de Alice ou pergunta se vou continuar a viver no país das maravilhas por muito tempo... rs

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Vocabulário Politiquês

Acordo: composição admirável da oposição com um governo que ela chama de abominável.

Amizade: sentimento de fraternidade eterna que tucanos e ‘demos’ nutrem um pelo outro enquanto esperam pelo rompimento definitivo.

Brasil: um belo ponto no mapa, ideal para erguer uma nação.

Cabide: artefato público no qual são pendurados os interesses privados.

Cabral: o grande culpado.

Cegonha: meio de locomoção que conduz às páginas da Playboy.

CPMF: contribuição provisória que conserva a Saúde do Tesouro em permanente ordem.

Democracia: sistema de governo que permite à burguesia terceirizar o poder a um operário.

Dúvida: vocábulo que separa os tolos em dois grupos: os que duvidam de tudo e os que não duvidam de nada.

Espelho: superfície refletora na qual um tucano enxerga um petista e vice-versa.

Estado: Ente que cria os tributos que ele mesmo vai arrecadar e desviar.

Fidelidade: sentença do TSE que, confirmada pelo STF, obriga o político a conter as suas pulsões partidárias.

Firmeza: qualidade atribuída aos que hoje são contra tudo aquilo que amanhã defenderão enfaticamente.

Governo: um mal cada dia menos necessário.

Hipocrisia: a sinceridade depois da queda da máscara.

História: conjunto de mentiras que deram certo na vida.

Incompetência: inabilidade que, em Brasília, é exercida com refinada competência.

Indignação: cólera que acomete o brasileiro no intervalo que separa um Carnaval do outro.

Jornal: rascunho do dia passado a sujo.

Leite: mistura de ácido com água oxigenada, acrescida de gotas de uma substância extraída das tetas da vaca.

Ladrão: o político do outro partido.

Mentira: uma verdade à espera da melhor ocasião para acontecer.

Nostalgia: saudade dos tempos em que laranja era só uma fruta.

Orçamento: documento que discrimina a receita e relaciona as despesas públicas que vão sair pelo ladrão no exercício seguinte.

Partido: agremiação política integralmente financiada pelo déficit público.

Quadrilha: uma repartição pública negociada privadamente.

Radical: um moderado que ainda não chegou ao poder.

Razão: faculdade daquele que tem a caneta e a chave do cofre nas mãos.

Semântica: vista com uma dose de otimismo, conduz à conclusão de que todas as letras de possível estão contidas no impossível.

Tucano: ave de gaiola, que Lula decidiu alimentar.

Unanimidade: a incapacidade individual multiplicada pela nulidade de todos os que compartilham das mesmas idéias.

Vantagem: benefício concedido àqueles que, não tendo salário, não precisam pagar a CPMF.

Xadrez: um tabuleiro que não foi feito para os que têm sensibilidade de damas.

Zero: Elemento que, somado a outro de mesmo valor conduz ao oco do vazio.

Fonte: Josias de Souza in: Nos Bastidores do Poder.

terça-feira, 14 de julho de 2009

É. Uns dias vem mais fáceis. Outros nem tanto. Mas todos passam.

Depois de uma longa noite, sempre nasce o dia. E muito embora o sol não lhe dê boas vindas todos os dias... ele sempre está ali, à espreita, esperando o nublado do céu sumir num sopro de esperança vindo de um lugar qualquer. Às vezes, vem de onde menos se espera. E se você prestar bem a atenção, pode descobrir que milagres realmente acontecem. Normalmente possuem nome, sobrenome e uma voz incrível- que de algum modo se confunde com a sua. E o resto vira resto mesmo. Ciclos que se alteram para que você, então, descubra que tudo pode - e vai - ficar bem, mesmo que no caos que se instaura de alguma forma. As páginas que se seguem em branco estão bem ali, diante de você, aguardando a pena correr e criar uma estória diferente. E, de repente, é tão bom sem que se saiba porquê.

Eu olho para o horizonte. Nem tão longe, nem tão perto. O suficiente para enxergar o que me faz bem. E tem tanta gente boa no meu caminho...

Mudando um pouco de assunto, música para a alma aqui: Perfect Symmetry, de uma banda inglesa chamada Keane.



Shake through the wreckage for signs of life
Scrolling through the paragraphs
Clicking through the photographs
I wish I could make sense of what we do
Burning down the capitals
The wisest of the animals

Who are you?
What are you living for?
Tooth for tooth
Maybe we'll go one more

This life is lived in perfect symmetry
What I do
That will be done to me

Read page after page of analysis
Looking for the final score
We're no closer than we were before

Who are you?
What are you fighting for?
Holy truth
Brother I choose

This mortal life, lived in perfect symmetry
What I do
That will be done to me
As the needle slips into the run-out groove
Love
Maybe you'll feel it too

And maybe you'll find life is unkind
And over so soon
There is no golden gate
There is no heaven waiting for you

Oh boy, you oughta leave this town
Get out while you can
The meter's running down
The voices in the streets you love
Everything is better when you hear that sound
Woah!
Woah!
Woah!

Spineless dreamers
Hide in churches
Pieces of, pieces of
Rush hour buses
I dream in e-mails
Worn-out phrases
Mile after mile of just
Empty pages

Wrap yourself around me
Wrap yourself around me

As the needle slips into the run-out groove
Maybe you'll feel it too
Maybe you'll feel it too

Spineless dreamers (Maybe you'll feel it too)
Hide in churches (Maybe you'll feel it too)
Pieces of, pieces of
Rush hour buses
I dream in e-mails
Worn-out phrases
Mile after mile of just
Empty pages

terça-feira, 30 de junho de 2009

Mimos!


Esse veio da Paraguaya... Obrigada, mesmo!
Segundo as regras, tenho que dizer 5 pessoas que me são especiais, fazer um desejo e passar o desafio para outros 10 blogs. Então, vá lá:

1 - Deus (não dava pra deixar de fora, afinal de contas, não fosse por ele, já tinha virado pó. Meus médicos também entrariam aqui, mas em outro contexto, lógico... rs Na fase que eu ando, já acho que realmente quem opera junto é o Cara lá de Cima);
1 - meus filhos (não vivo sem MESMO!!);
2 - meus pais (afinal de contas, são responsáveis pela minha existência, né?);
3 - minha irmã (parceiríssima, unha e carne. Nem preciso dizer mais nada...)
4 - Jana (minha amiga mais irmã que eu conheço, acolheu-me quando eu mais precisei e quando eu imaginei que - na minha estrutural fase de 'uma-bomba-atômica-caiu-sobre-a-terra-e-só-sobrei-euzinha-aqui'); divido a número quatro com a Fer (Ferdinanda Maria... como eu a chamo, que tá sempre ali pra mim, outra amiga-irmã sonhadora e tão ligada nas letras quanto eu)
5 - Caraca! Só cinco???? Pega pesado, né? D. Wanda, minha avó de consideração que Papai do Céu tá querendo levar embora... :( e D. Cleuza, que virou uma mãezona e me deu uma irmã preta liiiiiiinda de morrer por dentro e por fora!

Tinha tanta gente aqui que eu queria citar, mas ficaria fora do contexto do desafio. Pra variar, já deixei meio fora mesmo, afinal de contas, eu não consigo pensar em singular... Parece coisa de dupla sertaneja, mas afinal de contas, um não existe sem o outro! :)

Os dez blogs para os quais mando o desafio são:
1 - Colcha de Momentos;
2 - O Misto de Sentimentos;
3 - O Mundo tem Inscrições Sempre Abertas;
4 - Os 4 Elementos;
5 - Oscilando Entre a Fantasia e a Realidade;
6 - Partes de um todo;
7 - Sorrir quando se quer chorar;
8 - Whisperings;
9 - Tecido de Palavras;
10 - Perto do Coração de Camila