segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O limite entre o sensual e o indecente


No próximo réveillon, nas baladas, nos restaurantes, na Oscar Freire, no Leblon. O vestido curto & justo estará em todos os lugares no verão 2010, quer apostar? O modelo tem tudo a ver com o momento sexy que veio do exterior e, principalmente, com a influência do estilista Christophe Decarnin – ele transformou a Balmain na nova marca queridinha dos fashionistas e trouxe pra moda as ombreiras (que ainda encontram muita resistência e, por muitos, ainda são consideradas cafonas) e os curtos & justos (que muitas mulheres gostam porque ficam sensuais e muitos homens gostam… pelo mesmo motivo!).
Lilian Pacce

Ahhhhhh... eu é que não me meto a usar isso. Adoro vestido curto, mas o meu curto tem limite! E com certeza não termina na dobrinha da preferência nacional masculina. Não dá nem pra se mexer num desses, quanto mais sentar! É claro que os homens olham, mas depois não reclamem se forem mais além... Antigamente era uniforme de 'guerra'. E agora virou uniforme de balada (ou será matadouro?) das mocinhas - ok, algumas balzaquianas também aderiram. Os da foto aí em cima já são compridíssimos perto do que tenho visto por aí... O que eu digo segue abaixo.




É, seu Zé, os tempos mudaram. Fazer o quê? C'est la vie, mon amour, c'est la vie... Eu? Tô fora!!

P.S. Respeito as adeptas. Mas como se diz mesmo... (mau) gosto não se discute.

1 comentários:

Fernanda Souza Watzko disse...

Pois é amiga, outro dia que usei um vestidinho um pouco mais curto, já me senti mal com os olhares maliciosos da ala masculina. A gente fica parecendo um pedaço de carne exposto no açougue.