sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Milho de pipoca que não passa pelo fogo, continua sendo milho pra sempre.

Rubem Alves




Ah, mas eu já passei por tanto fogo que daqui a pouco viro é carvão mesmo!

Uma dia a Fer postou no blog uma frase da Martha Medeiros: 'O tempo não cura tudo. Aliás, o tempo não cura nada, o tempo apenas tira o incurável do centro das atenções'.

O post da Fer, que já não existe mais lá, dizia assim:
"O tempo não cura tudo. Aliás, o tempo não cura nada, o tempo apenas tira o incurável do centro das atenções." (Martha Medeiros)

E o incurável fica ali no banco de reservas, torcendo para que um dia chegue a sua vez de entrar em campo, ainda que seja aos 45 minutos do segundo tempo...


E bem citou a Fer, lá, uma frase de Lenine: Quem vai virar o jogo e transformar a perda em nossa recompensa?

1 comentários:

Fernando Shook disse...

Milho, queimado quem sabe, mas , que tal enxergar de outra forma, que planta frondosa germinou essa semente, e que, mesmo meio queimado, ainda ao joga-lo na terra, com sorte, há de tornar-se uma planta maravilhosa, sem marcas do passado.
E se não germinar ? enfim é o risco de viver como milho.
Ainda, bem que tu não és milho.